Topo
Blog da Georgia Castro

Blog da Georgia Castro

Categorias

Histórico

O que é mais saudável, ovos de Páscoa ou barras de chocolate?

Georgia Castro

19/03/2018 04h00

Crédito: iStock

A Páscoa é um momento de celebrar com chocolate, alimento tremendamente associado ao prazer que essa festa merece. Mas será que o chocolate com que são feitos os ovos é o mesmo que encontramos em barras? Pode ser que sim. Mas, muitas vezes, especialmente se tem recheios e camadas duplas ou triplas, é difícil manter o formato. Ainda mais em locais com um clima quente. Sem contar que costumam ser mais caros.

Por isso, para o ovo continuar com cara de ovo, sem se derreter e perder a forma, o jeito é acrescentar um pouco mais de gordura vegetal na receita. Sim, os ovos de Páscoa tendem a ser mais gordurosos  e com uma gordura que não é a do cacau– do que o chocolate em barra. E aí, para se certificar se está levando um produto sem tanta gordura vegetal, só há um jeito: olhar a tabela nutricional e a lista de ingredientes.

Todo chocolate é elaborado com a mistura de derivados do cacau (Theobroma cacao L.): a massa, que é a pasta ou o liquor desse fruto; o cacau em pó e a manteiga de cacau.  É particularmente essa manteiga que confere a cremosidade, aquela sensação de que o chocolate se desmancha na boca.

Quanto mais cacau um chocolate tem, mais fica ressaltado o seu sabor amargo, claro. E esse gosto esconde a sua riqueza em termos de polifenóis, substâncias que são antioxidantes. Não à toa, quanto mais escuro o chocolate, ou seja, com maior porcentagem de cacau em sua composição, mais benéfico ele é para a saúde. No Brasil, temos chocolates com 25%, 55%, 60% e até 70% de cacau no Brasil. Mas, se formos para outros países, como a Inglaterra, encontramos produtos com até 99% de cacau.

Já o chocolate branco é feito praticamente apenas de manteiga de cacau com leite (precisa ter, no mínimo, 20% dela), soro de leite (sempre em pó) e outros ingredientes que podem conferir textura, cremosidade e sabor. Uma dica: como a manteiga do cacau é pura cremosidade, quando você encontra um chocolate branco muito duro é sinal de que acrescentaram um bocado gordura vegetal ali. O que, como expliquei, é inevitável no caso dos ovos de Páscoa como o chocolate branco para manter o formato.

Na realidade, em um país tropical como o nosso, para que qualquer chocolate possa ser manuseado, transportado e  distribuído em várias lojas, continuando a ser ovo ou simplesmente para uma barra não se  derreter dentro da embalagem, sempre será preciso adicionar  um pouco mais de açúcar e gordura vegetal. Outra função do açúcar é quebrar o amargor do cacau, que, se é intenso, não agrada o paladar de todo mundo.

A indústria pode ainda adicionar substâncias para conferir brilho e não deixar o chocolate grudar na forma. Elas são bastante usadas naqueles produtos com muitos detalhes na superfície, como coelhinhos de chocolate, com nariz, boca, orelhas… E tem um porém: essas substâncias podem conferir um sabor que, para muitos, não é agradável. O jeito seria, para os mais sensíveis, morder o chocolate de dentro para fora, misturando tudo na boca.

Por causa dessas substâncias, talvez, muita gente diz que o chocolate tem conservante. Não é verdade, Devido à alta quantidade de cacau, ao leite, ao açúcar e , detalhe importante, por não ter água apenas gordura– não é necessário adicionar conservantes. Faça uma boa escolha de chocolate e feliz Páscoa!

Sobre a autora

Engenheira de alimentos pela Universidade Federal de Viçosa, em Minas Gerais, e doutora em nutrição pela Universidade Estadual de Campinas e pelo INRA, na França, Georgia Castro passou mais de 20 anos na área de assuntos científicos e pesquisa aplicada de algumas das maiores indústrias de alimentos do mundo, conhecendo como poucos os bastidores da produção daquilo que chega à nossa mesa. Atualmente, trabalha como coach de saúde e bem-estar.

Sobre o blog

Um espaço para você saber a verdade e compreender a composição dos alimentos embalados, aqueles que compramos no supermercado, nos atacados, nas lojas de conveniências ou que pedimos em cantinas, lanchonetes, bares e outros locais tão presentes na vida cotidiana. Assim, com informação, você será capaz de fazer escolhas de forma mais consciente.